Marca Botões e Esquadrões
Hoje eu resolvi me aproximar um pouco mais dos tempos atuais para postar o Boca Juniors de 2003, Campeão do Apertura, da Libertadores (diante do Santos de Diego e Robinho) e do Mundial de Clubes (superando o Milan de Kaká nos pênaltes).

Era um time que honrava as tradições xeneizes. Vibrante, forte na marcação e determinado quando atacava.  

O setor defensivo dava conta do recado, o grande goleiro Abbondanzieri e os zagueiros Schiavi (que já passou pelo Grêmio) e Burdisso (campeão mundial também pela Internazionale de Milão em 2010) lideravam com competência a retaguarda. Os laterais Ibarra e Clemente Rodríguez imprimiam velocidade no apoio.

Cuidando da contenção da defesa, Cagna e Battaglia eram muito eficientes. O meia Delgado com classe e um ótimo passe, também ia ao ataque. 

Tévez, com sua raça invejável, já incomodava, e muito, a zaga adversária com muita luta e gols. 


O Boca de 2003, que ainda contava com Schelotto e o brasileiro Iarlei no elenco, se tornou tricampeão mundial de clubes naquele ano. 


Defesa:
1.Abbondanzieri; 4.Ibarra, 2.Schiavi, 6.Burdisso e 3.Clemente Rodríguez;
Meio-Campo:
5.Battaglia, 22.Cascini, 8.Cagna e 20.Villareal;
Ataque:
16.Delgado e 11.Tévez.
Técnico: Carlos Bianchi
Mais um gol de Carlito
  O Boca foi uma parada dura para o Peixe

Comentários

Desenvolvido com por tavares.in